24 de jun de 2016

O repúdio do drama adolescente


Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje trago um assunto que por muitas vezes me deparei em resenhas e opiniões de leitores e, com isso, gostaria de propor uma reflexão e um debate sobre: o repúdio do drama adolescente nos livros, filmes, séries, etc.
Uma grande maioria dos leitores acabam não gostando de um livro, um filme ou qualquer outra coisa, justamente por haver “drama adolescente demais”; e por isso, a maioria acaba não suportando e é claro, repudiando esse tipo de tema ou característica em todas as obras existentes.
Não estou aqui para dizer que todos estão errados por achar o que acham do tema, mas propor uma reflexão do por que temos que necessariamente odiar tudo que envolve a época adolescente e todos os sentimentos envolvidos na fase.
Clique em continue lendo para saber mais.

Todos nós já sabemos que a fase da adolescência é uma das mais difíceis fases da vida. Passamos por diversos momentos de stress, tristeza, ansiedade e muitas vezes até mesmo depressão. É uma montanha russa de sentimentos que parece que nunca vai se acabar. É um período cronologicamente curto, mas espiritualmente e psicologicamente muito profundo, complexo e extenso.
Diversos livros, filmes, séries e outros tipos de obras tentam retratar essa fase difícil em seus trabalhos, mas, na maior parte das vezes, são “apedrejados”. Os motivos normalmente giram em torno de opiniões e argumentos como “ser clichê demais”, “ser adolescente demais”, “drama fútil demais”, etc. É claro, cada um tem o direito de achar o que for da obra da qual usufrui, mas por que vamos rotular a temática adolescente como algo ruim?
Não vou mentir dizendo que todas as obras que abordam o tal tema sejam excelentes. Uma grande parte delas falham em suas intenções e na mensagem que buscam transmitir. Uma grande parte delas fazem com que a adolescência pareça uma fase da nossa vida onde só damos importância a problemas extremamente fúteis, onde a vida pareça uma grande festa, onde somos todos extremamente ignorantes e alheios a tudo, onde só fazemos bobagens. Sim, existem diversas obras que transmitem uma imagem completamente errada e oposta ao que essa fase realmente é, jamais negarei esse fato.
Entretanto, generalizar a temática por conta de algumas dessas obras malfeitas é um erro. Assim como existem diversas obras ruins, existem diversas boas, que transmitem a mensagem de forma incrível, que mostram a realidade e como lidamos com problemas do nosso dia-a-dia durante esse período onde tudo parece ser muito maior do que realmente é.
Mas, ainda assim, generalizar o tema “adolescência” por experiências ruins com certos livros, filmes ou séries, não é o único motivo que levam as pessoas a o odiarem. Uma grande parte das pessoas simplesmente não suporta o drama, não suporta os pensamentos, as ações... absolutamente tudo. E todas essas críticas geralmente me fazem pensar em uma pergunta: “vocês já foram adolescentes?”.
My Mad Fat Diary (série)
Compreendo que nem todos são iguais e nem todos tiveram uma adolescência traumatizante, cheia de dramas e problemas; mas, a maior parte de nós, sim. E uma certa parte das pessoas que reclamam da temática adolescente, tiveram uma adolescência ruim como nós. Então por que elas odeiam tanto essa abordagem?
Talvez seja pelo fato de terem crescido e percebido que tudo o que achavam um problema gigante antes, não é absolutamente nada de importante agora. Talvez seja pelo fato de terem amadurecido e percebido o quanto os seus pensamentos e suas ações foram idiotas. Talvez seja pelo fato de simplesmente passar a ver o mundo de outra forma.
Mas, mesmo assim, por que esses deveriam ser motivos convincentes o suficiente para odiarem qualquer coisa relacionada a adolescência?
Particularmente observo essa situação como uma certa falta de empatia. Não apenas com os personagens adolescentes das obras, mas primeiramente e principalmente com si próprios.
A Melhor Festa do Ano (filme)
Acho importante amadurecer, crescer, aprender com os erros e saber lidar com os problemas e as frustrações de uma maneira completamente diferente da que costumava lidar na sua adolescência; mas, acho errado menosprezar tudo o que sentiu, viveu e fez naquela fase. Você pode e tem o direito de achar que agiu ou pensou como um idiota, mas não menospreze tudo o que você sentiu e tudo o que levou você a pensar e agir de tal forma. Tudo aquilo foi sim importante, mas você foi ensinado a pensar que não, porque os problemas adultos são maiores que isso; e você acaba reproduzindo esse mesmo pensamento depois.
A adolescência é uma fase que nos molda e nos prepara para sermos os seres humanos adultos que seremos em seguida. A adolescência é uma fase onde nossos sentimentos e nossa dor são sempre aumentados cem vezes mais. A adolescência é uma fase delicada, que necessita de muito cuidado, atenção e paciência. Quanto mais menosprezamos o drama dessa época, mais difícil torna para os próprios adolescentes dos dias atuais a dizerem o que sentem, o que pensam e agir da forma que acham que devem agir. Nós acabamos os reprimindo e tornarmos menos importante qualquer problema dessa fase quando dizemos que o drama adolescente é fútil.
Nenhum problema é fútil, seja ele na fase que for de nossas vidas. Ser popular pode não ser importante para mim, mas é importante para alguém. Ter terminado aquele namoro pode não ter sido tão doloroso para você, mas para outra pessoa pode ter sido o fim do mundo. Não generalize o sentir, e muito menos o menospreze.
Ter um pouco mais de empatia para os dramas adolescentes nas obras pode ser um grande passo para que você pare de os odiar, os generalizar ou os menosprezar. É preciso entender como aquela fase da vida funciona, como cada um sente da sua maneira e principalmente, lembrar de como você mesmo se sentia na época em que fora adolescente, tendo mudado ou não sua percepção sobre o mundo.

Posts recomendados:

Então é isso pessoal, espero que tenham entendido a mensagem do post e espero que tenham gostado! Se gostaram, deixem o curtir lá em cima ao lado do título (não se esqueçam de confirmar) e comentem o que acharam!
Até mais! 

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Achei muito boa a reflexão, e acho que nunca tinha parado pra pensar nisso. Há pouco tempo, li um livro com temática adolescente, e logo nas primeiras páginas, eu pensei assim: "Caramba, que livro ruim. Essa protagonista é a típica menina que está sofrendo e acha que estão todos contra ela". Continuei a leitura porque tinha assumido um compromisso com a autora, e a ideia pré-concebida se desfez. Com a leitura, descobri que a ideia daquele livro era muito boa (apesar de eu ter visto muitos problemas na forma como foi escrito). Mas enquanto eu estava convencida de que aquele livro era ruim, eu dizia a mim mesma: "Nunca mais leio livro de adolescente do Ensino Médio, é tudo igual". Só depois fui perceber o quanto eu estava errada, porque afinal, eu já tinha lido vários outros livros com adolescentes que tinham muita qualidade (li os ruins também, mas alguns era ótimos).
    Eu acho que o problema mesmo é quando os adolescentes são retratados da forma errada, como você falou. Quando são representados como fúteis, egoístas, e o livro/filme acaba ignorando que os personagens poderiam ter sentimentos muito profundos e ser bastante maduros.
    O livro que li foi uma verdadeira lição sobre não julgar a história sem ter terminado, e o seu post trouxe um pensamento muito válido. Gosto de visitar o seu blog, porque aqui sempre encontro ótimas reflexões!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a maior parte das obras também não tem empatia pelo adolescente e o coloca em uma posição da qual nem todos os adolescentes do mundo se encaixam. Cabe tanto a nós mesmos não julgar uma obra adolescente, quanto também cabe aos produtores, escritores e artistas não retratarem o adolescente de uma forma fútil como costumam fazer.
      Obrigada <3 espero que continue encontrando mais e mais reflexões por aqui!!

      Excluir

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team