17 de fev de 2015

O que esperar do filme Insurgente?


Olá pessoal, tudo bem? Nesse post vou focar exclusivamente no que eu particularmente estou esperando do filme Insurgente, o segundo filme da série Divergente. Estou formando minha opinião com base no trailer que saiu a algum tempo e com base nos meus conhecimentos do livro que li. Primeiramente, vejam o trailer:


Eu nunca fui uma pessoa muito exigente na parte de “tem no livro, tem que estar no filme”. Nunca me importei com as características do personagem mudar (desde que o ator/atriz sejam bons) ou de implantarem mais ação pra que a história se torne mais interessante em comparação com o livro (desde que não mudem o enredo de toda a história). Eu normalmente não crio expectativas porque sei que é apenas uma adaptação, e se forem colocar cada detalhe do livro no filme, ficará chato até para as pessoas que são fãs de verdade. Porém, me decepcionei com o que o trailer de Insurgente nos trouxe.
Em um primeiro momento já nota-se o porquê da minha decepção: o que é essa caixa? Eu li Insurgente a algum tempo e eu nunca tive boa memória, mas eu certamente me lembro de que essa caixa nunca existiu. Esse foi o primeiro item que me decepcionou no trailer, mas sei que minha opinião pode mudar se ela for bem encaixada na história, se ela não mudar o rumo de tudo. Sei que minha opinião pode mudar se ela for capaz de colocar mais ação e deixar tudo mais interessante, porém, enquanto temos apenas o trailer minha opinião sobre a caixa é: por que ela existe e qual a sua utilidade?
Em seguida temos a parte em que a Erudição invade a Amizade, onde Tris, Quatro e Caleb fogem e lutam contra eles, e onde Tris aparece segurando uma arma tão confiante quanto qualquer outra pessoa. Nos livros, todos nós sabemos que ela tem um problema com armas logo depois que mata Will, seu melhor amigo, onde ela não tem a capacidade nem de segurá-la sem entrar em pânico. Esse fato nos livros certamente foi um dos que mais me irritou, apesar de eu entender sua condição e motivo de todo esse drama com a arma: afinal, não é qualquer um que mata seu melhor amigo não é? Porém, foi uma das características do livro que me entediou e fez com que tivesse menos ação do que eu esperava que tivesse. Então, levando em conta esse meu pequeno ódio pelo trauma de armas de Tris, a parte do trailer em que ela segura uma arma com segurança não me irritou, e certamente ela pareceu bem mais interessante e forte do que ela realmente é nos livros. Portanto: Tris e sua segurança com armas no trailer, aprovado!
Após a fuga do trio eles vão parar na sede dos sem facção. O fato de o local ter sido representado de uma maneira diferente da qual eu imaginei não me incomodou e eu achei interessante, pois em minha imaginação eles viviam em prédios abandonados como mendigos, e o fato de terem criado o local como uma nova sociedade, um novo grupo de pessoas, foi criativo e tornou essa parte da história mais visualmente agradável para mim. Porém, temos a atriz que interpreta a mãe de Quatro, Evelyn. Em minha imaginação sua pele era escura, tinha cabelos compridos, era bastante alta e forte e era bem mais velha do que a atriz realmente é. Em minha opinião, a escolha da aparência de Evelyn não foi muito boa, pois em momento algum eu diria que uma mulher tão jovem quanto ela é a mãe de Quatro. Porém, como eu disse, não costumo me incomodar com a aparência dos personagens quando a atuação é boa o suficiente para me convencer, então espero pelo momento em que mudarei de opinião sobre Evelyn.  Portanto, minha opinião sobre a parte dos sem facção no trailer é mediana: está na corda bamba e tudo depende do filme para que eu finalmente escolha de qual lado ficarei.
Após o momento dos sem facção o trailer é seguido por cenas de luta das quais eu não me lembro de acontecerem no livro, então não posso opinar verdadeiramente sobre elas, mas de qualquer forma achei que são cenas boas o suficiente para entreter qualquer pessoa de qualquer idade e fazê-las ficar dentro da sala do cinema com os olhos grudados na tela sem nem pensar em levantar.
Em seguida temos Tris e uma alucinação com sua mãe e sua casa na Abnegação. Lembro-me de ter uma breve citação de Tris que dizia que Jeanine estava preparando alucinações para ela, e que deixaria sua mãe por último, mas não me lembro de ter realmente acontecido essa alucinação. Eu sinceramente não gostei dessa parte do trailer, não por não estar no livro mas por achar bastante esquisita em questão dos efeitos especiais. Não agradou meus olhos, mas talvez eu mude de opinião se a história não tomar um rumo diferente. Portanto, minha opinião sobre essa parte do trailer é: desnecessário.
Há também a parte em que Tris luta com ela mesma. No livro ela precisa lutar com ela mesma para que se livre do veneno que enche a sala em minutos, para alcançar Jeanine e finalmente encontrar a verdade que tanto a Abnegação queria revelar. No trailer podemos vê-la lutando consigo mesma, ao lado de Jeanine. Em um primeiro momento achei essa cena estranha e sem sentido, e certamente como qualquer pessoa chata, reclamei muito. Porém, após várias vezes assistindo ao trailer me dei conta de que amo a atriz que interpreta Jeanine, e a presença dela nessa cena fez com que tudo ficasse mais misterioso e empolgante de assistir, te fazendo prender o fôlego e criar ainda mais raiva por sua personagem. Então minha opinião sobre essa cena é: espero profundamente que ela seja tão boa quanto parece ser no trailer!
Em poucos segundos também aparecem cenas quentes de Quatro e Tris na cama. Em vários momentos enquanto eu estava lendo os livros pensei “será que aconteceu agora e eu perdi o fio da meada?”, mas imagino que o meu pensamento atual não está errado: isso acontece apenas no último livro da série. Entretanto, não vi problemas em colocarem essa cena no segundo filme por dois motivos: o primeiro motivo é que esse casal pode ser considerado um dos meus preferidos entre todos os livros que li. O segundo o motivo é que isso pode amenizar as brigas que eu tanto odiei no segundo livro. Eu sinceramente não via a hora de acabá-lo justamente por esse segundo motivo que citei. Portanto: coloquem sexo, mas não coloquem brigas!
E por fim não preciso nem dizer que o efeito do vidro formando a palavra Insurgent é a coisa mais linda de todas não é mesmo?
Bom, para dar uma opinião geral sobre tudo o que achei do trailer, eu diria que gostei bastante apesar de desgostar de algumas cenas. Sempre haverá essa pequena raiva se você ler os livros de alguma série antes de ver os filmes, mas em um geral, não é um trailer para se dizer “vai ser totalmente infiel aos livros”. Das cenas que citei, poucas delas interferem na construção da real história que circula a trilogia, portanto não há do que reclamar da mudança do enredo.
Imagino que assim como eu, todos vocês estão ansiosos para a estreia de Insurgente nos cinemas, mesmo com alguns defeitos aqui e ali. E assim que eu assistir, terei uma opinião formada sobre o filme todo! Espero não me decepcionar.
Até mais!

Comente com o Facebook:

2 comentários:

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team