1 de abr de 2016

O autor influencia seu gosto pela obra?


Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje quero discutir um assunto do qual venho refletido durante muito tempo: a relação do autor e da obra. O quão influente o autor se torna em relação a sua criação?
Já aconteceu de você acabar gostando muito menos de alguma obra por causa da pessoa que a criou? Tanto em filmes, séries, livros, música, jogos ou em qualquer outra situação. Comigo isso já aconteceu no mundo da música e usarei disso como exemplo da minha posição no assunto.
A inspiração para criar esse post veio de um vídeo que vi há algum tempo no canal All About That Book da Mayra, que comentou um pouco sobre o mesmo assunto. Quem tiver interesse em ver, clique aqui.
Clique em continue lendo para saber um pouco mais sobre o que acho disso.

Imagine só que o seu autor preferido, dono dos seus livros favoritos, tem um caráter duvidoso e opiniões e atitudes completamente imorais que você desaprova e repudia completamente. Logicamente olhar para esse autor da mesma maneira que você olhava antes acabará se tornando uma tarefa impossível e você deixará de admirá-lo em um piscar de olhos. Mas, agora, imagine como ficaria a sua relação com a obra que você tanto admirou e amou. Você deixaria de gostar da criação do autor por conta do próprio autor?
Essa é uma questão que acaba gerando opiniões completamente distintas umas das outras. Existem as pessoas que conseguem sem problema algum separar a obra de seu criador, e existem as pessoas que simplesmente não conseguem e não acham certo financiar a carreira daquele criador quando ele mesmo carrega uma personalidade e uma opinião totalmente incorretas e imorais. Qual dos dois lados está realmente certo? Será possível chegar a uma conclusão concreta?
Para fazer com que vocês entendam um pouco melhor o que estou querendo dizer com esse assunto, gostaria que vocês respondessem uma questão para si mesmos enquanto estão lendo esse post. Observem essas duas imagens:



Vocês as acharam bonitas? Acharam pinturas ótimas e bem trabalhadas? Pois bem, eu achei quando as vi pela primeira vez. Mas, vocês ficariam surpresos ou desapontados se eu lhes dissesse que quem as pintou foi Hitler?
Vi esse questionamento no vídeo da Ariel do canal Ariel Bissett que falava sobre o mesmo assunto que estou tratando agora e achei muito interessante. Afinal, você não pode negar que as pinturas são bonitas apenas porque seu artista fora Hitler, mesmo que este homem tenha cometido um dos maiores crimes da história.
Entretanto, apesar de ser impossível dizer que uma obra deixa de ser boa no geral por conta de seu criador, é totalmente possível que essa obra não seja mais boa para você, em particular. O que estou querendo dizer? Vou explicar.
Eu tive minha época fã de Justin Bieber e Miley Cyrus. E eu provavelmente ainda seria fã dos dois se ambos não tivessem tomado rumos e atitudes que não me agradaram em nada. Não estou aqui para julgar e dizer que o que fizeram com suas vidas e suas carreiras foi errado, mas posso afirmar que foram mudanças que atrapalharam a minha relação com esses artistas. Eu já não me sentia entusiasmada em continuar acompanhando e ouvindo suas músicas como antes, eu já não sentia o mesmo carinho e amor, eu já não tinha aquele sentimento de antes. Portanto, essas mudanças de comportamento e personalidade afetaram sim o meu envolvimento com suas obras, mas jamais neguei o fato de que eles são bons cantores com boas músicas.
Existe até mesmo um episódio em Glee (clique aqui para ver um vídeo em inglês sobre o episódio) relacionado a esse assunto, do qual os personagens têm a tarefa de revelarem as músicas e os cantores que admiram que são na verdade uma vergonha para todo o resto das pessoas pelos mais diversos motivos: “Guilty pleasures”. Até que em um certo momento, um desses personagens revela que cantará uma música do Chris Brown para a tarefa, e é praticamente apedrejado pelo restante dos estudantes porquê de acordo com eles, era horrível o fato dele estar gostando de uma música criada por alguém que comete violência contra a mulher. E apesar de ser um fator e tanto para passar a não gostar da obra do artista, não significa que isso aconteça com todos.
Portanto, talvez minha opinião final sobre esse assunto seja: tudo depende do seu nível de envolvimento com a obra para que a personalidade do criador seja capaz de interferir nos seus sentimentos. Existem as pessoas capazes de deixar de gostar completamente e existem as pessoas que não são capazes de deixar de gostar. Gostar da obra pode não significar que você aprove as atitudes e o posicionamento do próprio artista, pode apenas significar que você conseguiu separar as duas coisas. O que eu acho realmente válido é não ficar calado perante a tais situações imorais. Mesmo que seu autor favorito tenha cometido algo do tipo, é preciso falar e se posicionar em defesa do que se acredita, mesmo que continue gostando de sua obra.
O autor tem sim uma influência em seu gosto pela obra, mas tudo depende de sua própria personalidade e capacidade de saber separar o artista de sua criação e a razão da emoção.

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado do post! E se gostaram, deixem o curtir lá em cima ao lado do título (não esqueçam de confirmar) e comentem o que acharam!
Até mais!

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Uau, que reflexão interessante! Está aí uma boa coisa para se pensar. Eu me sinto desencorajada a ler obras do Monteiro Lobato, depois de saber dos boatos de que ele era racista (digo boatos, porque não sei se é verdade, não sei se as declarações atribuídas a ele são verdadeiras, ou se são só mais um boato de internet). Quanto à Miley Cirus, eu também gostei dela, e amava o seriado da Hannah Montanah, mas quando ela mudou de atitude e estilo musical, foi como se tivesse passado a ser outra pessoa para mim.
    Até onde sei, meus escritores preferidos não fizeram nada que seja socialmente condenável, e não consigo imaginar como me sentiria caso descobrisse que algum deles tinha comportamentos ou pensamentos que vão contra minhas convicções. Meus parabéns pelo post!

    Vim avisar que te indiquei para a TAG Livros Opostos. Clique o link para ver as perguntas: http://loucura-por-leituras.blogspot.com.br/2016/04/tag-livros-opostos.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É realmente algo muito difícil de encarar. Para mim, alguns desses "atos socialmente condenáveis", como você mesma disse, me impedem de gostar do artista e de sua obra de uma maneira muito fácil. Talvez, no final das contas, isso seja até bom. Mas, como eu disse, é uma situação que pode ser encarada com maior facilidade por outras pessoas também.
      Obrigada pelo elogio e obrigada por me indicar para a TAG! Estarei respondendo em breve <3

      Excluir

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team