26 de abr de 2016

Como nossos sentimentos influenciam nossas leituras


Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje venho discutir um assunto que infelizmente tem sido bastante presente em minha vida: a interferência das nossas emoções, sentimentos e os diversos momentos de nossas vidas em nossas leituras.
Clique em continue lendo para saber mais.

Não sou profissional, psicóloga ou qualquer coisa do tipo para abordar esse tema com profissionalismo e aprofundamento, mas sei que todos nós já estamos mais do que cientes do quanto as situações que enfrentamos no dia-a-dia, nossas emoções e sentimentos do momento interferem de diversas maneiras em nossas vidas.
Um acontecimento ruim pode interferir no seu desempenho em seu trabalho, em suas relações com as pessoas a sua volta e até mesmo consigo mesmo. Assim como um acontecimento muito bom pode também interferir nessas mesmas coisas e mais.
Entretanto, a maior parte de nós, leitores, não costumamos parar para pensar e analisar muito bem como esses sentimentos podem fazer uma total diferença em nossas leituras; e eles fazem muita!
Em grupos de livros e leitores em que sou membro no Facebook, costumo observar diversos leitores se queixando do quanto costumam ler pouco, mais devagar ou não ter quase nenhuma vontade de ler em comparação a outras pessoas. Vejo que elas estão sempre pedindo dicas de como superar e melhorar esses problemas e se culpando a todo tempo. Esse tipo de comportamento me fez pensar se o problema não estivesse realmente na vida e na situação ao redor daquela pessoa, ao em vez de simplesmente apontar dedo e dizer que o problema estava nela mesma e que ela deveria criar vergonha na cara e ler mais e melhor.
Muitas vezes procuramos soluções para os problemas que passamos com nossas leituras que não podem ser solucionados enquanto a energia ao redor de nós não mudar. É claro, seguir dicas encontradas na internet podem sim solucionar o problema, mas o que estou realmente querendo dizer é que talvez alguns desses problemas que normalmente costumamos esbarrar em nossas leituras podem não ser solucionados de forma tão simples. Posso me utilizar como exemplo para que vocês entendam melhor.
Gosto muito de ler, e os livros tem sido minha escapatória da realidade durante muito tempo. Entretanto, ano passado, li pouquíssimos livros. E quando digo que essa falta de muitas leituras ou lentidão para ler não são consequências da minha preguiça ou falta de interesse, estou falando sério. O ano de 2015 para mim, foi o meu último ano na escola. Passei praticamente o ano todo estudando para prestar vestibular e estive sobrecarregada durante muito tempo. Os livros nem sempre me ajudavam nesse tipo de situação.
Atualmente, um certo peso foi retirado das minhas costas e consegui iniciar o ano com muito mais vontade de ler e me aventurar em novos livros que no ano de 2015. Entretanto, alguns problemas pessoais fizeram com que essa vontade se esvaísse novamente.
Portanto, minha falta de vontade, lentidão ou simplesmente falta de interesse em ler qualquer livro ultimamente não são porque eu deixei de gostar de ler ou porque sou simplesmente preguiçosa. Diversas acontecimentos e emoções fizeram com que esse desânimo em relação a leitura se apossasse em mim, assim como acontece em outras situações de nossas vidas.
É possível encontrar diversos outros exemplos como esse quando você assiste alguns booktubers. Já me deparei com muitos deles se queixando de que não haviam gostado de certo livro por estarem passando por certos momentos em suas vidas que não ajudavam em nada no desenrolar da leitura. Assim como já me deparei com alguns deles dizendo que leram determinado livro no momento certo de suas vidas, e que precisavam de uma leitura daquela para levantar ainda mais o astral.
Então qual é o meu objetivo ao abordar esse assunto? Eu gostaria de aconselhar a todos os leitores que passam pelos mesmos problemas que eu, que parem por um segundo e reflitam se esses obstáculos em suas leituras não são consequentes de situações e emoções do seu dia-a-dia. E se chegarem à conclusão de que essas dificuldades são resultantes de algum problema totalmente avulso ao mundo das leituras, que tentem resolvê-los, ou aprender a viver com eles, ou trocar por um livro que ache que ajude a combater esses problemas ou simplesmente dar tempo ao tempo. Não há nenhum problema em demorar meses para ler um livro ou ler muito menos que outras pessoas costumam ler quando o que acontece a sua volta interfere bruscamente no seu prazer pela leitura.
Os livros devem lhe transmitir uma boa experiência, e a partir do momento em que algo atrapalha essa meta, isso deve ser resolvido de alguma maneira.
Não se culpe e não deixe com que essa boa experiência e esse prazer pela leitura vá embora por completo!

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado do post! E se gostaram, deixem o curtir lá em cima ao lado do título (não esqueçam de confirmar) e comentem o que acharam!
Até mais!

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Preciso comentar, porque me identifiquei bastante com o tema do post.
    Eu comecei agora o último ano do ensino médio também, e minhas leituras foram colocadas lá no fundo na lista de prioridades, sem que eu nem percebesse. Antes, ler era um dos principais passatempos, mas agora parece que tem tanta coisa pra fazer, tem tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, que, quando eu me lembro das leituras, simplesmente não encontro o tempo nem o clima pra isso.
    Quero muito voltar a ler como fazia antes, mas acho que o melhor é esperar a vida se acalmar mesmo. Enquanto isso, a wishlist só vai aumentando hahhaha

    Abraços, Adan
    http://mundosnaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ás vezes esse tipo de problema não tem melhor solução do que esperar a vida se acalmar e as coisas voltarem ao seu devido lugar. Forçar uma leitura que você sabe que não está te agradando pode piorar as coisas!
      Te desejo boa sorte no último ano e nas suas leituras futuras :D

      Excluir

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team