19 de jan de 2016

Resenha/Filme: Star Wars: O Despertar da Força


Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje trago a resenha de um filme que já foi lançado e eu já assisti há algum tempo, mas não havia tido vontade de escrever sobre. Entretanto, percebi que o blog simplesmente estaria incompleto se eu não escrevesse sobre ele.
Clique em continue lendo para descobrir o que achei sobre o sétimo filme de uma das franquias mais famosas do mundo: Star Wars: O Despertar da Força

   




Lançamento: 17 de dezembro de 2015
Duração: 2h15min
Dirigido Por: J. J. Abrams
Gênero: Aventura, Ação, Ficção Científica
Nacionalidade: EUA






Sinopse
Décadas após a queda de Darth Vader e do Império, surge uma nova ameaça: a Primeira Ordem, uma organização sombria que busca minar o poder da República e que tem Kylo Ren (Adam Driver), o General Hux (Domhnall Gleeson) e o Líder Supremo Snoke (Andy Serkis) como principais expoentes. Eles conseguem capturar Poe Dameron (Oscar Isaac), um dos principais pilotos da Resistência, que antes de ser preso envia através do pequeno robô BB-8 o mapa de onde vive o mitológico Luke Skywalker (Mark Hamill). Ao fugir pelo deserto, BB-8 encontra a jovem Rey (Daisy Ridley), que vive sozinha catando destroços de naves antigas. Paralelamente, Poe recebe a ajuda de Finn (John Boyega), um stormtrooper que decide abandonar o posto repentinamente. Juntos, eles escapam do domínio da Primeira Ordem.

Opinião
Quando fui ao cinema com a minha família para assistir o capítulo 7 de Star Wars, a intenção era que eles se divertissem, pois já haviam assistido todos os filmes e após 10 anos finalmente veriam uma continuação, um vislumbre do que acontecera após o término do capítulo 6. Entretanto, felizmente, quem acabou se divertindo mais fui eu!
Eu me lembro de ver cena por cena e pensar “Nossa, eu estou gostando MUITO desse filme”. E eu continuava me lembrando disso porque eu mesma não acreditava que EU, a pessoa que sempre teve um leve preconceito com a série, estava gostando do filme; EU, que não havia nem assistido os primeiros!
Dito isso, já vou logo dando um conselho: se você está preocupado em não entender nada do filme por não ter assistido os anteriores, e tem medo de acabar não tendo uma boa experiência por conta desse obstáculo, não se preocupe tanto. É claro, mesmo que eu não tenha tido assistido todos os filmes da série quando assisti o último lançado, eu tinha consciência do enredo anterior, tanto por ter ouvido falar pela minha mãe, quanto por simplesmente saber, já que a saga é muito famosa e muito falada. Portanto, eu pelo menos aconselho você, que não sabe absolutamente nada sobre a série, não quer assistir os primeiros filmes e quer assistir o novo lançamento, que procure ao menos saber o básico. Esse pequeno conhecimento seria apenas uma maneira de você não se perder em algumas referências, cenas, personagens etc. Seria apenas uma maneira de entender a história contada; mas, acredite em mim, quando eu digo que saber ou não do que se trata o filme não atrapalha em nada a incrível experiência que se tem com ele, não estou brincando.
Diversas vezes fiquei perdida, sem saber o que estava acontecendo e por que estava acontecendo, mas nada disso fez com que eu parasse de pensar “Eu estou gostando MUITO desse filme”.
Como é típico da sequência Star Wars, as cenas de ação são as que mais se destacam e enchem os olhos de qualquer um que se disponha a assistir. Assim, com a junção dos bem feitos efeitos especiais, não há o que esperar do episódio 7 que não seja uma sequência incrível para outros 6 filmes tão incríveis quanto.
E é claro, além de garantir sua diversão, posso garantir também que a vontade de assistir os episódios anteriores da saga também surgirá. Afirmo por experiência própria. Minha família e eu alugamos todos os 6 primeiros filmes e assistimos todos em uma semana. E podem ter certeza, me tornei fã logo de cara!
Além disso tudo, é possível provar um pouco de diversos sentimentos no decorrer da história. Ansiedade, felicidade, tensão e alegria são alguns dos exemplos que posso citar para descrever o que senti em diversas cenas. Além da própria adrenalina, que é praticamente sua fiel companheira em todos os minutos de O Despertar da Força.
Parece ser praticamente impossível descrever tudo o que senti ao assistir ao episódio 7 de Star Wars em palavras. Menos possível ainda, parece ser dar motivos concretos para motivá-los a assistir também. Não há muito o que dizer que não seja: por favor, compartilhem dessa maravilhosa experiência comigo. Vamos surtar juntos com toda essa sequência de ação, com todos esses efeitos especiais, personagens carismáticos, mundo fantástico e enredo maravilhoso! Juntem-se a mim e partilhem dessa obra cinematográfica incrível que é Star Wars: O Despertar da Força.
E apesar de todos os motivos que eu dê para vocês, leitores do meu blog, assistirem, serem importantes, nenhum será tão importante quanto o que me deixou ainda mais encantada com esse filme: a representatividade. Para os que não sabem a importância dessa palavrinha, aqui está uma breve explicação do nosso querido dicionário: “Representatividade significa representar com efetividade e qualidade o segmento ou o grupo o qual se faz representar”.
O último filme lançado da famosa franquia de Star Wars tem como personagens principais um negro e uma mulher. E, é claro, sempre terão aqueles que dirão que não tem necessidade de destacar uma informação dessa como importante, já que, de acordo com esses seres, “já temos a igualdade”. Se você é um desses seres, tenho uma notícia triste para você: não temos igualdade. E um desses grandes exemplos é justamente o filme que estou resenhando.
O Despertar da Força é um dos poucos filmes que tem como heróis – e protagonistas – um homem negro e uma mulher, e isso deve ser uma informação a ser destacada porque ela É SIM, importante. Representar pessoas de um grupo normalmente oprimido em diversas questões da sociedade como heróis, protagonistas e jedis é uma bela maneira que encontraram de terminar o ano 2015.
É importante parabenizar toda a equipe que trabalhou para esse filme pelos mais diversos motivos. Por toda a diversão e mistura de sentimentos que proporcionaram a seus fãs. Por todo o empenho em tornar cenas de ação e efeitos especiais cada vez melhores. Pela belíssima e admirável atuação de todos os atores. Por todo o ambiente familiar e aconchegante que foram capazes de criar mesmo depois de tantos anos. E, por fim e principalmente, pela linda representatividade que criaram ao colocar protagonistas como esses.
O capítulo 7 de Star Wars faz jus ao nome: foi realmente, o despertar da força!

<3

Nota:

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado! E se gostaram, cliquem em curtir lá em cima ao lado do título e comentem o que acharam!
Até mais! 

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team