26 de jan de 2016

Adaptações cinematográficas e leitores exigentes


Olá pessoal, tudo bem? Hoje quis trazer um post específico sobre um assunto que já venho comentando em minhas resenhas de filmes há bastante tempo: as adaptações cinematográficas e os leitores exigentes.
Desde sempre a exigência da perfeição e fidelidade aos livros por parte dos leitores tem sido um dos principais problemas ressaltados em críticas de certos filmes. Diversas vezes me deparei com comentários de pessoas esculachando diversas obras cinematográficas apenas pelo fato de não ter atendido as suas expectativas como leitor. No post de hoje quero contar minha opinião sobre esse assunto!
Clique em continue lendo para descobrir mais sobre ela.

Sempre deixei bem claro que nunca fui uma pessoa exigente com a fidelidade dos filmes aos livros. Nunca fui o tipo de pessoa que deixa de observar as melhores qualidades dos filmes apenas pelo fato de não ter sido daquela maneira em minha experiência como leitora. Mas, agora, nesse post, quero também deixar claro que não me acho melhor que ninguém por isso.
Não existe problema nenhum em querer assistir nas telas do cinema aquela exata cena que você imaginou enquanto leu aquele livro. Não há nada de errado em querer provar de uma experiência que você esperou tanto para ser de uma certa maneira. Não há nada de errado em se decepcionar com um filme por não ter sido tudo o que esperava. Isso já aconteceu com todo mundo; inclusive comigo, mesmo que eu não fosse tão exigente nesse aspecto.
O problema realmente começa quando você estraga a sua, e a experiência dos outros ao assistir um filme onde você só sabe reclamar e esperar pelo pior. Onde você só sabe ressaltar a cada cena que não foi daquela maneira que aconteceu no livro. Onde você só sabe criticar e deixar claro cada defeito que repara. Sim, cada um faz o que quer, pensa o que quer e fala o que quer, mas não seria melhor parar de reclamar de tudo sobre o filme e tentar ter uma experiência melhor com ele?
Conheço e já observei várias pessoas que já entram na sala do cinema esperando que a adaptação cinematográfica de um livro fosse ser extremamente ruim. E, é claro, no decorrer do filme, reclamam ainda mais. De que maneira essas pessoas esperam que o filme vá ser bom, se elas mesmas já entram com a mentalidade de que será ruim?
Parece lição de autoajuda, mas é apenas a verdade. Quem acompanha meus posts aqui no blog, especialmente os que faço sobre minhas expectativas em relação a algum filme que será lançado, sabe que na maior parte das vezes sempre carrego uma boa expectativa sobre eles, mesmo que seja a mínima possível. É claro, não sou aquele tipo de pessoa extremamente positiva que não vê defeito em nada. Tenho a plena consciência de que todos os filmes carregam algum defeito, assim como os livros, e nunca deixei de comentar eles também. Entretanto, estou sempre esperançosa com a maioria porque sei que dessa maneira posso ter uma ótima experiência se essa esperança for atendida. Da mesma maneira que posso ter uma péssima experiência se não for. Mas a vida é feita de filmes bons e ruins, e eu prefiro sempre me esforçar para enxergar as qualidades, mesmo que
isso me decepcione depois.
Portanto, o que quero dizer com isso é: pare de cobrar tanto. Pare de querer comparar uma obra de 500 páginas com uma de 2 horas. Todos nós sabemos que são duas formas de entretenimento completamente diferentes entre si. Todos nós sabemos que não é possível colocar todo aquele conteúdo de 500 páginas nesses poucos minutos. Todos nós sabemos que nem sempre optar pela fidelidade a história escrita seja uma boa ideia para levar as telas do cinema. Não é tão difícil de enxergar e melhor ainda, não é tão difícil de aceitar e se acostumar com a ideia.
Não estou querendo dizer que todas as obras cinematográficas são boas e muito menos que nenhuma delas deve seguir e ser fiel a história que as originou. Minha experiência com as adaptações cinematográficas de Percy Jackson e o Ladrão de Raios exemplifica bem o que quero dizer. Sei que nem todos os filmes vão acabar bem se seguirem um padrão diferente e só se preocuparem com as sequências de ação que produtores e diretores pensam que entreterão todos os públicos. Sei que nem todos os filmes vão ser bons, mas sei também que existem milhares de motivos para isso, e eles não são unicamente voltados para a carência de fidelidade aos livros.
Tente enxergar além daquela chata e velha frase que muitos leitores extremamente exigentes costumam usar: “Não foi assim que aconteceu no livro”. Tente acrescentar um “mas” ao final da frase. Tente e se esforce para ter uma boa experiência com o filme. Afinal, foi para isso que eles foram feitos, não é? 

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado do post! E se gostaram, cliquem em curtir lá em cima ao lado do título e comentem o que acharam!
Até mais!

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team