1 de ago de 2015

Resenha/Jogo: Life is Strange (Ep 4)


Olá pessoal, tudo bem? Hoje estou postando sobre algo que tenho esperado há bastante tempo para postar: finalmente o episódio 4 de Life Is Strange foi lançado, eu joguei e agora irei contar a vocês o que achei sobre cada detalhe desse episódio.
Irei escrever o que achei do episódio, evitando ao máximo spoilers, e em seguida contarei o que acontece nele, com spoilers (muitos spoilers).
Espero que gostem!
Se quiser saber um pouco mais sobre o jogo e sobre os três primeiros episódios, conto tudo isso aqui: Resenha/Jogo: Life Is Strange (Ep 1-3) 

Opinião
Se eu achei que nada mais poderia me deixar de ressaca, triste, ansiosa e preocupada como o final do terceiro episódio de Life Is Strange me deixou, eu não poderia estar mais errada.
Em minha primeira resenha sobre o game, citei quais eram os processos e o passo a passo para se apaixonar por ele; o que cada episódio trazia para que você passasse a amar a história e tudo o que o envolve.
O primeiro episódio serve para conhecermos os personagens, a vida deles, a cidade e a história; porém, lhe planta a semente da curiosidade na mente com o uso de leves mistérios. A curiosidade do primeiro episódio lhe faz continuar a jogar o segundo.
O segundo episódio é feito para que você se aproxime e se apaixone um pouco mais pelos personagens que compõem o jogo, já que é possível conhecer todos eles no primeiro episódio, lhe dando a chance de se aproximar e se apegar a eles no segundo. Além disso, os mistérios se intensificam e os problemas também, lhe dando a obrigação de continuar jogando para descobrir o que acontece.
O terceiro episódio é apenas uma prova de que você já se apegou, já se apaixonou e já não pode mais negar que Life Is Strange se tornou seu jogo favorito. É onde há uma intensidade ainda maior na relação de personagens entre si, onde ligações completamente aleatórias começam a fazer um pouco de sentido, é onde maiores problemas começam a aparecer e finalmente, é onde descobrir o que irá acontecer já não é mais uma questão de diversão em um jogo qualquer, mas sim, uma necessidade!
E por fim, no tão esperado episódio 4, temos uma mistura de sentimentos inexplicavelmente dolorosa. Os acontecimentos finais do terceiro episódio abriram um leque de possibilidades enormes para os produtores começarem o jogo já incrivelmente bem, e é claro, eles não fizeram diferente.
O quarto episódio do jogo já se inicia carregado com emoção e sentimento, tornando impossível você não se emocionar ou não se sentir comovido. E para que vocês tenham uma pequena noção de como o decorrer da história se desenrolará, e de como ela fará você se sentir, acompanhem o meu raciocínio: se os primeiros três minutos do jogo te deixam com vontade de chorar, te deixam com o coração apertado, imaginem o resto!
Dark Room (nome do quarto episódio), em meu ver, é onde os produtores abusaram mais de sua liberdade de criar cada vez mais detalhes com perfeição, mais ligações aparentemente improváveis e acontecimentos inesperados. É onde os produtores abusaram mais da jogabilidade, da história, do mistério e na relação com os personagens. Abusaram altamente de seu talento.
Desde o primeiro momento até agora, é possível perceber uma evolução na intensidade de todos os detalhes. Não só pela história do jogo, pelos personagens e pelo mistério, mas também pelo que você começa a sentir quando termina de jogar. Pode parecer exagero, mas é realmente doloroso. Como já mencionei, você se apega tanto aos personagens e a história do jogo que se esquece de que aquilo é apenas um jogo. Você sente uma necessidade de resolver todos os problemas e de descobrir o que realmente está acontecendo, e depois se sente frustrado por não conseguir todas as respostas ou se sente frustrado por nada dar certo para seus personagens preferidos. Life Is Strange tem a magia de te prender dentro daquele universo totalmente criado e imaginário, te fazendo pensar que aquilo realmente existe. Life Is Strange consegue captar qualquer um que o jogue.
Além disso, há também o fato de nossas escolhas no decorrer da história terem se tornado cada vez mais intensas e muito mais significativas que em episódios anteriores. Você começa a sentir o peso das consequências dessas escolhas antes mesmo de escolhê-las. Você pensa milhares de vezes antes de finalmente tomar sua decisão. Vi um vídeo que exemplifica bem essa variedade de opções e os diferentes rumos que você tem no decorrer do jogo de acordo com o que você faz; enquanto o assistia percebi que muitas coisas que fiz foram totalmente diferentes das dele e isso me surpreendeu muito. Apesar de não sair do rumo da história principal, é incrível como a decisão que você tomou no decorrer do jogo tem cada vez mais influências e consequências futuras.
Sinceramente houveram alguns aspectos do quarto episódio que não gostei, como por exemplo, o uso de um acontecimento que não teve muita influência no restante da história. Esse fator deu a entender que apenas o utilizaram para criar uma jogada de marketing, chamar a atenção e te fazer criar expectativas em cima de algo que realmente não tem relevância alguma. Como pode ter sido também para desviar a atenção do problema principal da trama para que os gamers e fãs se surpreendessem com o final do episódio. Realmente não sei quais foram as intenções ou se houveram realmente essas intenções, mas o fato de algumas coisas terem acontecido “à toa” no quarto episódio me levaram a esse pensamento. Talvez elas tenham alguma relevância em algum período do quinto episódio, mas por enquanto, algumas coisas foram um pouco desnecessárias na composição da história e do mistério principal.
Apesar disso, os detalhes dessa parte da história estão simplesmente impressionantes e inacreditáveis. Se você achava que os três primeiros episódios eram detalhados demais, com certeza você vai mudar de ideia. Olhar para todos os lugares, de todos os ângulos, prestar atenção em tudo o que acontece é fundamental para as escolhas que você deve fazer. Uma conversa com outra pessoa totalmente aleatória pode influenciar na sua conversa com uma pessoa principal e você nem sabia. The Dark Room é totalmente rico em detalhes, e isso não chega nem perto de ser um defeito. É incrível você ter a liberdade de andar para lá e para cá observando tudo e descobrindo sempre um pouco mais sobre todos os personagens. É incrível você ficar cada vez mais inteirado no que acontece em Blackwell e Arcadia Bay.
Como já citei, a tendência do jogo é melhorar, e é claro, essa meta foi cumprida. Por ser um episódio que necessita de muito mistério, pistas e raciocínio lógico, a jogabilidade foi um ponto mais forte no quarto episódio que em qualquer outro. Em momento algum me senti entediada por ficar muito tempo sem fazer nada (porque isso claramente não acontecia) ou entediada por conversar com as outras pessoas, mas sim, mais ansiosa para finalmente chegar ao fim e descobrir a verdade (ou parte dela). É claro, há algumas partes em que o diálogo e o raciocínio são aspectos de grande necessidade e, portanto, passar mais de trinta minutos conversando com alguém ou tentando resolver algum problema não é algo surpreendente. Entretanto, não foi um fator que me incomodou, já que em momento algum queria parar para fazer qualquer outra coisa. O jogo me manteve ocupada e minha necessidade por respostas falou mais alto que qualquer defeito que uma pessoa qualquer poderia encontrar.
Por fim posso dizer que o episódio 4 de Life Is Strange é revelador, intenso, misterioso, assustador, preocupante e é claro, maravilhoso. É claro, a necessidade do lançamento do próximo episódio passou a ser maior ao final do quarto, mas nós esperamos. E esperamos realmente com grande esperança, e não tenho dúvida alguma de que não nos decepcionará.
Life Is Strange: sua tendência é melhorar cada vez mais; e mexer com nossos sentimentos da mesma maneira! 

Episódio 4: Dark Room
(Obs: Nesse tópico contém spoilers, tanto escritos quanto em imagens, do episódio 4 de Life Is Strange e, gostaria de deixar claro que estou citando os acontecimentos que ocorreram no meu jogo, com as minhas escolhas. Caso você não tenha, por exemplo, salvado Kate, alguns desses momentos que citarei aqui podem ser diferentes dos seus.  
As fotos usadas no decorrer desse post peguei no vídeo desse cara aqui: https://www.youtube.com/watch?v=rWvOTfIouXE)



O quarto episódio do jogo, como já citei, já se inicia com fortes emoções. Ao final do episódio 3, descobrimos que o fato de Max voltar em um passado distante e modificar uma morte, teve grandes consequências; e a principal delas: sua melhor amiga, Chloe, em uma cadeira de rodas. E é assim que começamos o quarto episódio.
Por ter modificado uma morte, muita coisa muda a partir de então. Max sai da cidade de qualquer forma, mas se torna uma pessoa diferente. Mantém contato com Chloe, mas não da mesma maneira acolhedora e sensível; assim que volta para Arcadia Bay, a protagonista passa a ser amiga de pessoas que antes não suportava; Chloe e seus pais passam por extremas dificuldades com o valor de toda a medicação e tratamento necessários para a recuperação e a vida de Chloe... E assim se passa uma realidade alternativa onde William, pai de Chloe, não morre.
Nos primeiros momentos do jogo temos evidenciada a amizade de Max e Chloe e de como a vida se tornara mais difícil agora que William estava vivo. Os custos, a vida da melhor amiga que, além de estar sempre em risco, não pode ser aproveitada devidamente, os amigos que a protagonista fizera nessa mudança e etc. Tudo mudou e talvez não para melhor.

Em um certo momento, enquanto as amigas estão vendo fotos de quando eram crianças, Chloe pede para que Max a mate de overdose para finalmente acabar com o sofrimento de todos. E é aí que entra a sua primeira grande escolha.
"E você me fez sentir daquele jeito hoje. Eu quero que esse momento com você seja minha última memória..."

"Aceitar";"Recusar";"Eu não sei"

Realmente não faz muita diferença o que você escolha (apenas a reação de Chloe), pois assim que você toma sua decisão, Max decide que precisa voltar no momento da fotografia para deixar William morrer e tudo voltar a ser como era antes. E é esse momento que achei inútil, como citei na minha opinião. Não houve relevância alguma já que a verdadeira realidade voltaria depois de alguns minutos de jogo. Mas de qualquer forma, foi um momento emocionante. 
"Me desculpe, William..."



"E sem sessão de degustação de vinho com Chloe e Max..."

"surpresa com bolo de chocolate para sobremesa."

Assim que volta para a realidade, Max se vê no quarto de Chloe procurando por pistas sobre todos os mistérios: Rachel desaparecida, Nathan e o “Dark Room” citado em um exame que fizera no psiquiatra, quem drogou Kate e etc. Por isso, Max vai até o porão de David procurar por mais pistas. 

"Whoa! Menos, Max! Você ganha um beijo e agora você está toda caída por mim..."


"Cadeado"

Assim que o faz, a dupla decide ir até o hospital para visitar Kate. O reencontro entre Max e Kate é emocionante e de certa forma, aconchegante. Ver Kate feliz e bem faz com que Max e os fãs do jogo se sintam aliviados, como se o próprio peso que Kate sentia fosse tirado dos nossos ombros, e não dos dela.
As amigas conversam sobre os recentes acontecimentos e entram em um acordo de finalmente descobrir quem a drogou, e começando por Nathan, Kate se voluntaria a descobrir o número do dormitório dele, para que Max e Chloe invadam e procurem por mais pistas. 
"Mas eu absolutamente tenho que ir ver Kate no hospital agora."

"Hospitais sempre me assustam."


Sendo assim, Max e Chloe se dirigem até a escola e entram no dormitório dos meninos. Kate manda o número do quarto de Nathan por SMS e Max pode finalmente entrar. O quarto é assustador. Cada pequeno detalhe é perturbador, como a mente de um psicopata; e procurando entre esses objetos, filmes e fotografias bizarras, Max encontra seu celular e o leva como uma pista. 

 "O que são essas marcas no chão?"

"Vamos descobrir o que você está escondendo..."

Saindo do dormitório elas esbarram com Nathan, que surta, perguntando o que elas fazem no seu dormitório. Nesse momento Warren interfere e começa a bater nele. Sua próxima escolha: interferir e impedir Warren de continuar a violência, ou não interferir. 

"Sai fora, cara!"

"Ficar fora disso";"Parar Warren"

Após feita a escolha, ainda procurando por mais pistas, Max e Chloe vão até a praia, onde várias baleias mortas repousam na areia, para conversar com Frank. Após muita insistência, Frank decide dar uma pista a elas, por Rachel. Elas recebem a lista de clientes de Frank (compradores de drogas) e finalmente voltam para casa afim de interligar todas as pistas coletadas. 

"Nos ajude a encontrá-la, Frank. Por favor... nós realmente precisamos da sua lista de clientes."

"Se tem uma chance de vocês duas babacas conseguirem achar Rachel... Eu vou agarrá-la."

No antigo quadro que ambas pintaram, depositam todas as pistas e as interligam, afim de descobrir algo relevante o bastante, um início para a procura. No fim, acabam descobrindo um lugar, um celeiro, onde pode ter sido o ponto de encontro entre Frank e Nathan para a compra de drogas, que pode ter sido utilizada em Kate. 
"Pistas do David"

"Chloe, esse é definitivamente o lugar."

As amigas vão até o celeiro e procuram por pistas. Depois de muita investigação, finalmente encontram um porão, muito moderno para a construção antiga do celeiro. Ao entrarem se deparam com uma porta digital, com um código para entrar. Alguns números estão gastos e isso dá oportunidade para descobrirmos mais rápido e entrarmos nesse misterioso lugar. 



Quando conseguem entrar, se deparam com um lugar de dar arrepios (tanto nas próprias personagens quanto nos fãs e gamers). Um lugar claro, cheio de equipamentos caros de fotografia, abastecimento de comida, drogas, e finalmente, o que todos esperavam. O que aconteceu com Kate e Rachel.
Em um armário estão depositadas as pastas que costumavam passar em teasers aos finais de episódios. Nessas pastas há vários nomes, incluindo Victoria (que está com a pasta vazia), Kate e Rachel. Dentro dessas pastas é possível ver fotos das garotas sequestradas, drogadas e amarradas. Em uma das fotos, Rachel parece morta. 

"Oh não, Kate... Não..."

Chloe surta e precisa encontrá-la para crer. Conhecendo o lugar da foto, as amigas se dirigem até o Junkyard. Ao chegarem lá, desenterram o local onde Rachel se encontra na foto e finalmente pode-se ter o vislumbre do corpo da garota desaparecida, sequestrada, drogada e morta. As personagens ficam devastadas, e precisam de sua vingança. Por ter uma festa do Vortex Club à noite, elas desconfiam de que sua próxima vítima é Victoria, e ele a drogará lá. 

"Você vai me ajudar, Max?"

"Oh, Rachel, não, não! Por favor, não ela!"

Elas se dirigem até a festa e ao chegarem lá se deparam com um céu iluminado por duas luas. Max se sente apavorada mas Chloe não dá a devida importância por estar ansiosa por vingança, e procuram por Nathan, que não está em nenhum lugar. Assim que Max consegue entrar na área VIP, encontra com Victoria, e tem a opção de avisá-la ou não avisá-la sobre o Dark Room e de que ela será a próxima vítima. 
"O que é isso? Jesus, Chloe, olhe para o céu!"



"O Quarto Escuro";"Não avisá-la"

Em seguida, após Jefferson anunciar o ganhador do concurso Everyday Heroes (Victoria), Max e Chloe decidem ir até o dormitório de Nathan, porém, são impedidas quando Chloe recebe uma mensagem do mesmo. 
"Oh Cristo, Nathan acabou de me mandar uma mensagem..."

"estou feliz que deu uma última olhada em rachel
ninguém jamais encontrará ela de novo depois que eu terminar"

Preocupadas com o corpo de Rachel ter sido retirado do local, correm de volta para o Junkyard. Lá, Max é drogada e Chloe leva um tiro, revelando finalmente, que o professor Jefferson é o assassino, sequestrador e torturador de Rachel Amber e de tantas outras vítimas. 


"Oh não..."





Nota:

Teaser Ep 5:

"Não faça isso."


Acho que não é necessário eu expressar a dor que estou sentindo com o fim desse episódio, não é? O sofrimento provavelmente deve estar pairando no ar desse post e não é preciso palavras para descrever o quanto os escritores e produtores desse jogo destruíram nossos sentimentos.
Agora aguardamos ansiosamente o desfecho dessa longa, maravilhosa e dolorosa história.
Se você tem alguma opinião diferente da minha ou quer simplesmente discutir teorias ou o que achou do episódio, comente aqui embaixo!
Espero que tenham gostado. Até Life Is Strange Episódio 5!

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Oi, tudo bem?! Conheci seu blog e gostei muito, já segui o blog, o twitter e também curti a página no facebook. Sucesso!

    Não conhecia o jogo, mas parece bem interessante. Adorei os gráficos ♫

    Abraços do Dan :)
    •bookdan.blogspot.com
    •twitter.com/@leitura_dan
    •facebook.com/leituradan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada <3 já retribui
      O jogo é realmente muito interessante. Tanto que daria um ótimo livro/filme/série e qualquer outra coisa. Recomendo mais que tudo!

      Excluir
  2. Olá, não tenho o jogo, mas acompanho as gameplays no youtube.
    Realmente, é viciante o enredo desse jogo, você explicou muito bem do seu ponto de vista, queria ter conhecido seu Blog desde o 1º capítulo lançado para debatermos juntos!
    Só uma coisa, mesmo se o final não for próximo do que esperamos, a experiênca é o que conta! posso afirmar que "gastei" horas do meu tempo apreciando um ótimo jogo (e não o rebobinaria, assim como Maxine faria).

    Um beijo Amanda! e parabéns pelo blog. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, se tiver algum final que não me agrada, não posso tirar nenhuma estrela que dei ao jogo. Ele merece as 5 e muito mais. Nunca nenhum jogo me deixou ansiosa dessa maneira e tenho que levar isso em conta, e não um final que não me agradou. A mesma coisa aconteceu com Beyond: Two Souls; não gostei muito do fim mas não deixa de ser um dos meus preferidos.
      Obrigada Sergio, seja bem vindo ao meu blog <3

      Excluir

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team