9 de ago de 2015

O contemporâneo também tem voz


Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje trago uma discussão sobre um fato que normalmente tem me incomodado muito. Tanto nos livros didáticos de história, tanto nas discussões com professores, pais, parentes e adultos em geral, nós, adolescentes e jovens em geral, temos pouca voz. Nós nunca somos levados a sério em variadas situações, assim como a nossa cultura atual também não é. Nossos livros, músicas, filmes, séries favoritas, assim como discussões atuais nunca são levadas a sério e uma grande maioria simplesmente ignora por achar que não faz nenhuma diferença, é tudo besteira. Nesse post quero mostrar o quanto essa maioria está errada.

Raramente você encontra alguém que dê espaço para jovens entrarem em uma discussão séria. Raramente você vê adultos pedindo a opinião de jovens para decisões responsáveis. Raramente você vê os filmes, livros, séries e músicas atuais sendo levadas a sério pelas pessoas mais velhas. Várias vezes nos deparamos com pessoas menosprezando a literatura atual como estúpida, infantil e inútil, aplicando vários outros nomes que não se encaixam realmente na realidade da nossa literatura contemporânea. Várias pessoas menosprezando a obra cinematográfica atual como se não levasse nenhuma mensagem importante para o seu público, assim como os programas de televisão e a música. Mas eu tenho um recado para as pessoas que acham isso: vocês estão erradas.
Claramente o século XXI não é perfeito. Claramente não é uma época repleta de metáforas, mensagens importantes e cultura pura. Eu consigo ver que parte da nossa atualidade também tem preocupações fúteis e entretenimentos sem lógica alguma. Mas eu te pergunto: você viveu em todos os séculos para saber se todo eles também foram perfeitos como a maioria dos livros didáticos dizem e professores nos ensinam? Vale lembrar que estamos em uma época muito melhor que outras. Vale lembrar que alguns anos atrás, a grande parte da população era machista, racista e homofóbica. Isso ainda existe? É claro que existe. Mudanças não acontecem da noite para o dia. Mas como alguém pode discordar que isso diminuiu radicalmente nos últimos anos?
Muitas coisas precisam mudar. Muitas coisas que eu não concordo continuam acontecendo e muitas vezes eu me sinto envergonhada pela época em que vivo e pela cultura que me rodeia. Mas toda essa vergonha se resume em influências. Pessoas que sussurram nos ouvidos alheios que vivemos em uma época crítica, horrível e nojenta. Que vivemos na época da decadência humana. E agora, parando para pensar nesses comentários, eu não concordo.
Já estudei bastante literatura, história, filosofia e sociologia para saber que nosso século atual pode conter os piores defeitos possíveis, mas não é o mais terrível em vários aspectos, incluindo nossa cultura.
Eu sinceramente sinto falta do contemporâneo no meu dia a dia na escola, por exemplo. Existem tantos filmes, séries, músicas e livros capazes de expressar a exata mensagem que muitos outros clássicos também expressam que me deixa até abismada como tantos ainda não perceberam o quão importante a cultura atual também é aplicável nos ensinos, na matéria, no conhecimento.
Jogos Vorazes e Divergente são duas distopias muito famosas, muito distintas entre si, mas principalmente, muito intelectuais. Ambas carregam uma mensagem importante que poucas pessoas conseguem realmente enxergar por entre as linhas e as palavras escritas. E é claro, não são levadas a sério como realmente deveriam ser.
A Culpa é das Estrelas é um alvo famoso para a desvalorização e xingamentos alheios. Muitos costumam dizer que é uma decadência na literatura simplesmente porque fez muito sucesso e é um romance adolescente. Entretanto, poucos pararam realmente para lê-lo e avaliá-lo por entre as linhas, por entre as palavras simples que com bastante atenção se transformam em metáforas incríveis. Poucas pessoas dão a devida importância para essa obra incrível.
Recentemente iniciei uma nova série, Glee, que também é carregada de mensagens importantes no decorrer dos episódios, e que todos deveriam levar muito mais a sério do que normalmente levam. “Série de menininha”, “série para adolescentes” é como a grande maioria rotula uma série onde o foco principal é a vida adolescente e os dramas vividos nessa época difícil. E é aí que a grande maioria erra, julgando o assunto como algo descartável e inútil. Episódio por episódio podemos ter contato com assuntos como racismo, homofobia, machismo, bullying e muitos outros assuntos que normalmente são ignorados apenas pelo fato da série ser “adolescente”.
Esses são só alguns exemplos que posso citar entre outros milhares de diferentes entretenimentos que são ignorados por todos por serem julgados pela capa. Até mesmo jogos podem ser citados nessa ignorância da população, de rotularem tudo que seja novo de fútil e perda de tempo.
Tudo o que nos rodeia nos dias de hoje é cultura e é aproveitável para adquirir sabedoria, tanto quanto a história e a cultura antiga também é. Por isso, com tudo isso eu quero dizer que todos nós deveríamos nos orgulhar mais com a nossa cultura atual e fazer mais uso dela, tanto para conhecimento e estudo quanto para diversão.
Eu não preciso ler milhares de clássicos para ser considerada intelectual, e muito menos assistir filmes antigos para ser cult. Eu sou do século XXI e vou fazer o melhor uso dele enquanto posso.

Então é isso pessoal, esse post foi apenas um desabafo sobre algo que vem me incomodando a muito tempo (principalmente depois de ver o quanto as pessoas não entendem algumas obras que deveriam ser de análise profunda sobre assuntos políticos, econômicos e sociais). Devemos dar muito mais valor a obras atuais, pois um dia, no futuro, as pessoas darão, e já será tarde demais para aproveitar.
Se gostou do post, clique em curtir logo abaixo do título do post e sinta-se livre para comentar suas opiniões!

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team